Newsletter subscribe


Confrontos, Posts, Santa Cruz

Campinense 5×1 Santa Cruz – A goleada e o adeus ao amadorismo em 1959

Campinense 5x1 Santa Cruz 1959
Posted: 01/05/2016 at 09:00   /   by   /   comments (0)

O futebol brasileiro ainda atravessava um processo de transição entre o amadorismo e o profissionalismo na década de 1950 e o panorama não era diferente no interior da Paraíba.

Os torcedores de Campina Grande viam os dois maiores clubes da cidade, Treze e Campinense, divididos internamente e resistindo à pressão para entrar no profissionalismo.

Somente em 1959, quando o Treze já era considerado um clube de futebol profissional, o Campinense colocava em campo os primeiros jogadores contratados e remunerados.

Os primeiros jogadores a assinarem foram o goleiro Josil, o meia-esquerda Bruno, o meia-direita Tim, o volante Jaime e o ponta Zito. Parte da diretoria e da torcida, porém, ainda resistia a essa ideia tão defendida e imposta pelas federações.

No entanto, os questionamentos caíram por terra naquele mesmo ano. No dia 1º de fevereiro de 1959, uma vitória avassaladora sobre um gigante nordestino mudaria tudo.

O Campinense recebia no estádio municipal Plínio Lemos o pernambucano Santa Cruz, considerado à época um terror para os adversários tanto dentro quanto fora do Arruda.

Sob o comando do técnico húngaro Janos Tatray, o Campinense goleou a equipe coral por inacreditáveis 5 a 1. No dia anterior, o rival Treze havia sido derrotado pelo mesmo Santa Cruz.

A crônica esportiva da Paraíba deu uma enorme repercussão à goleada, que foi usada como um exemplo de que o futebol de todo o estado deveria deixar o amadorismo de vez.

A torcida e a diretoria do Campinense passaram a investir mais no time que, no ano seguinte, já era praticamente todo formado por jogadores profissionais, contratados e assalariados.

Aquele mesmo esquadrão que bateu o Santa Cruz, meses depois goleou o Bahia por 4 a 1. Tricolor baiano, inclusive, que com o mesmo time seria campeão da Taça Brasil de 1959.

O time-base que venceu o Santa Cruz e que marcou a era profissional do Campinense tinha Buarque, Gil, Bil, Assis, Marques, Arlindo, Zezinho, Géo, Hildebrando, Ernani e Martinho.

Imagem: Campinense Clube