Newsletter subscribe


Confrontos, Corinthians, Portuguesa, Posts

Corinthians 2×2 Portuguesa – Castrilli e a polêmica semifinal do Paulistão de 1998

Posted: 22/05/2016 at 09:58   /   by   /   comments (0)

No dia 26 de abril de 1998, uma das mais polêmicas arbitragens da história do futebol brasileiro marcou o clássico entre Corinthians e Portuguesa na semifinal do Paulistão.

Para aquela decisão, a Federação Paulista de Futebol decidiu convidar o árbitro argentino Javier Castrilli. O anúncio, dias antes do jogo, já começou a gerar um clima de dúvidas no ar.

A imprensa esportiva abordava a história de Castrilli no futebol do país vizinho, onde era conhecido por “El Sheriff” pela rispidez com os atletas e a facilidade em aplicar cartões.

Castrilli se popularizou como o juiz mais famoso da Argentina ao se envolver em diversas polêmicas em decisões de campeonato, principalmente em arbitragens que prejudicaram o Boca Juniors.

Na primeira partida, Timão e Lusa empataram em 1 a 1. No segundo jogo, o time do Canindé precisava vencer, enquanto a equipe de Parque São Jorge jogava pelo empate.

Em um estádio do Morumbi lotado, a Portuguesa abriu o placar com Ailton aos 10 minutos. A polêmica começou a dar as caras já nos primeiros minutos da etapa final daquele clássico.

Castrilli assinalou um pênalti do atacante luso Evair em cima do alvinegro Cris após uma cobrança de escanteio. Sob protestos da Lusa, Marcelinho Carioca cobrou e colocou o 1 a 1 no placar.

A partida era muito disputada, com chances equilibradas. Mas, aos 33 minutos do segundo tempo, Da Silva foi para as redes e colocou a torcida da Portuguesa em euforia no Morumbi.

A Lusa ia se classificando para a final quando, aos 44 minutos, o zagueiro César dominou a bola no peito dentro da área e Castrilli deu pênalti dizendo que ele havia colocado o braço nela.

Os jogadores da Portuguesa ficaram revoltados e partiram para cima do juiz. Carlinhos e Alex foram expulsos por reclamarem do lance. Irredutível, Castrilli mandou cobrarem o pênalti.

Aos 49 minutos, Rincón converteu a penalidade e colocou o Timão na final. Ao término da partida, a torcida da Lusa era só xingamentos para o argentino Javier Castrilli.

A imprensa tentava falar com o juiz, porque as câmeras de TV mostraram claramente que a bola não bateu no braço de César. O jogador, também expulso nos instantes finais, saiu aos prantos.

Javier Castrilli evitou qualquer repercussão, retornou à Argentina e se aposentou após a Copa do Mundo de 1998. Ele, sempre polêmico, ainda se tornou político em Buenos Aires.

O Corinthians enfrentou o São Paulo na final daquele Paulistão. Apesar de vencer o primeiro jogo por 2 a 1, o alvingero perdeu a taça ao ser derrotado por 3 a 1 na segunda partida.

Naquela polêmica semifinal, o Corinthians foi a campo com Nei, Rodrigo, Cris, Gamarra, Silvinho, Romeu, Vampeta, Rincón, Souza, Marcelinho Carioca e Mirandinha.

Já a Portuguesa foi escalada com Fabiano, Valmir, César, Marcelo Miguel, Augusto, Alex, Carlinhos, Alexandre Alves, Evandro, Evair e Aílton.

Se o VAR existisse e fosse usado na época? O resultado teria sido diferente? Confira abaixo no documentário “VAR – Reflexões sobre o árbitro assistente de vídeo”