Newsletter subscribe

Confrontos, Coritiba

Coritiba campeão brasileiro (1985)

Coritiba campeão brasileiro 1985
Posted: 31/07/2016 at 09:00   /   by   /   comments (0)

No dia 31 de julho de 1985, mais de 90 mil pessoas enchiam o Maracanã, no Rio de Janeiro, para assistir à inédita final do Campeonato Brasileiro entre Bangu e Coritiba.

O torneio daquele ano uniu a Taça de Ouro e a Taça de Prata. Na prática, foram reunidos os clubes da primeira e da segunda divisão. O resultado foi uma longa competição com 44 clubes.

As equipes foram divididas em quatro grupos na primeira fase e em outros quatro na segunda. Isso apenas para chegar às semifinais, disputadas entre quatro times em dois jogos.

O Bangu chegou à decisão depois de eliminar o gaúcho Brasil de Pelotas. Já o Coritiba acabou avançando com ainda mais moral, superando o Atlético-MG que já havia sido campeão nacional.

Apesar de tantos jogos e tantas fases, aquele Campeonato Brasileiro foi decidido em uma partida única. O Rio de Janeiro foi escolhido pelo fato de o Bangu ter a melhor campanha.

As torcidas cariocas se uniram para lotar o Maracanã e torcer pelo surpreendente Bangu que, comandado pelo técnico Moisés, tinha como principais destaques os atacantes Marinho e Ado.

O Coxa Branca tinha como treinador Ênio Andrade, campeão brasileiro com o Internacional em 1979 e com o Grêmio em 1981. E, dentro das quatro linhas, as estrelas de Índio e Gomes

O grande segredo da equipe paranaense foi a concentração e a tranquilidade, aproveitando-se o “oba oba” carioca. Havia até um caminhão dos bombeiros reservado para a festa do Bangu.

Índio surpreendeu a multidão no Maracanã logo aos 26 minutos do primeiro tempo com um golaço de falta. Foi o primeiro gol do atacante após uma sequência de 16 partidas sem marcar.

A ducha de água fria fez o Bangu acordar no jogo, empatando apenas 10 minutos depois com Lulinha. A equipe carioca era melhor tecnicamente, mas o Coxa compensava na raça.

O Coritiba deu uma amostra de superação e dedicação tática. O jogo ficou amarrado e disputado minuto a minuto até o fim. A decisão era tão tensa que chegou à disputa de pênaltis.

As cobranças foram sendo convertidas uma a uma. Com um incrível 5 a 5 exibido no placar do Maracanã, o craque e ídolo da torcida Ado desperdiçou a sexta oportunidade do Bangu.

Foi quando Gomes correu para a bola e marcou o gol redentor do Coritiba. O clube paranaense conquistava ali o primeiro título brasileiro da história, nunca antes conquistado no estado.

Ênio Andrade se tornava, então, o “Rei do Sul”. O único técnico tricampeão nacional por três equipes distintas, todas do Sul do país. Os números do Coxa, aliás, foram bem peculiares.

O time soube jogar baseado no regulamento, ou seja, na inteligência do treinador. Em 29 jogos, foram 12 vitórias, sete empates e 10 derrotas. Uma campanha singela, mas histórica.

Naquela final, o Coxa foi a campo com Rafael, André, Gomes, Heraldo, Dida, Almir, Marildo, Toby, Lela, índio e Édson.

Já o Bangu levou a campo um time com Gilmar, Márcio Nunes, Jair, Oliveira, Baby, Israel, Lulinha, Mário, Marinho, João Cláudio e Ado.

Todos os atletas se tornaram ídolos, recepcionados como heróis em Curitiba. Foi o grande impulso para o clube se estabelecer como grande não apenas no Paraná, mas no Brasil.