Dicá – Oscar Sales Bueno Filho

No dia 13 de julho de 1947, nascia na cidade de Campinas, no interior de São Paulo, um dos meias mais habilidosos e fatais nas bolas paradas que passaram pela Lusa: o “mestre” Dicá.

Sempre com cobranças milimetricamente perfeitas, consagrou-se no futebol como um exímio batedor de faltas. O craque era também um excelente armador, com passes impecáveis.

O apelido de Oscar Sales Bueno Filho gera controvérsia. Uns dizem que ele gostava de jogar no time “de cá” da rua, outros falam que, um dia, perguntaram se ele era o irmão “de cá” na foto.

Iniciou a carreira profissional na Ponte Preta em 1969, lançado pelo técnico Cilinho. Destacou-se no Campeonato Paulista de 1970, ficou uma temporada no Santos e chegou à Portuguesa.

Vestindo a camisa rubro-verde, Dicá se alternou no meio-campo com os craques Basílio, Wilsinho, Xaxá e Cabinho. Disputou algumas partidas daquele Campeonato Paulista de 1973.

O primeiro título da carreira de Dicá veio naquele torneio, a taça dividida com o Santos em um “erro” do árbitro Armando Marques. No entanto, ainda teve outros momentos marcantes na Lusa.

O meia também fez parte da campanha que rendeu à Rubro-Verde o vice-campeonato estadual de 1975. Infelizmente, perdeu um dos pênaltis nas cobranças da final contra o São Paulo.

Disputou 164 jogos na Portuguesa, marcando 37 gols. Foi na Lusa que Dicá passou a usar a camisa 10. O meia ainda voltou à Ponte Preta, em 1976, e encerrou a carreira no Araçatuba (SP).