Pages Menu
Categories Menu
Fluminense 1×0 Botafogo – Rivalidade, polêmica e título tricolor em 1971

Fluminense 1×0 Botafogo – Rivalidade, polêmica e título tricolor em 1971



Um dos mais polêmicos clássicos entre Fluminense e Botafogo foi disputado no dia 27 de junho de 1971, no estádio do Maracanã, e decidiu o título do Campeonato Carioca.

Os alvinegros, que já haviam ficado com as taças de 1967 e 1968, assistiam a um dos melhores times da história do clube, com Carlos Alberto Torres, Brito, Paulo César Lima e Jairzinho.

Já os tricolores vinham de uma geração de idolatria, tendo conquistado a Taça Brasil de 1970. Nas Laranjeiras brilhavam Felix, Galhardo, Marco Antônio, Ivair e Lula.

Aquela edição do Campeonato Carioca foi disputada em pontos corridos e o Botafogo foi líder durante quase todo o torneio. No último jogo, contra o Fluminense, precisava só de um empate.

A certeza do título era tão grande que jogadores alvinegros chegaram a posar com a faixa de campeão com rodadas de antecedência. As fotos foram divulgadas pela imprensa e teve início a polêmica.

A atitude mexeu com os jogadores tricolores, que passaram a tratar o jogo não apenas como uma final de campeonato, mas como uma questão de honra para estragar a festa adversária.

Naquele dia, o estádio do Maracanã recebeu mais de 142 mil torcedores e a rivalidade estava a flor da pele. O árbitro José Marçal Filho foi escolhido para ser o dono do apito.

A chamada “Selefogo” subiu ao gramado com Ubirajara, Carlos Alberto Torres, Brito, Osmar, Paulo Henrique, Nei, Carlos Roberto, Zequinha, Nilson, Careca e Paulo César Lima.

Já o Tricolor das Laranjeiras foi escalado com Félix, Oliveira, Galhardo, Assis, Marco Antônio, Silveira, Didi, Wilton, Cláudio, Ivair e Lula. O técnico era Mário Jorge Lobo Zagallo.

A partida ficou empatada sem gols até os 43 minutos do segundo tempo, quando o Fluminense conseguiu um escanteio. O lateral Oliveira cruzou para a área e Lula empurrou para o gol.

Porém, antes de chegar a Lula, a bola passou por dois jogadores. Eram o tricolor Marco Antônio e o goleiro alvinegro Ubirajara. A dupla se chocou no ar e caiu no gramado.

Os jogadores do Botafogo alegavam que Marco Antônio havia empurrado Ubirajara e impedido que ele segurasse a bola. A falta, portanto, invalidaria o gol do título marcado por Lula.

No entanto, o árbitro José Marçal Filho não viu problemas no lance e validou o gol. O apito final não demorou a ser dado e, nas arquibancadas, a festa era regada a pó de arroz.

Os botafoguenses correram atrás de Marçal, que encerrou o jogo próximo do túnel que dá acesso aos vestiários. A alegria tricolor, porém, logo superou a revolta alvinegra.

A história desse título é contada no filme “Ivair – O Príncipe do Futebol”. O documentário foi produzido pelo ‘Acervo da Bola’, conta a carreira do craque tricolor e traz detalhes sobre a conquista.

Imagem: Blog Joalheiros