Newsletter subscribe


Posts

Jogadoras estrangeiras no Campeonato Brasileiro Feminino 2019 – Série A1

Jogadoras estrangeiras no Campeonato Brasileiro Feminino 2019 - Série A1
Posted: 08/07/2019 at 12:27   /   by   /   comments (0)

A Vitrine do Futebol Feminino traz um levantamento sobre como e onde estão as jogadoras estrangeiras que atuam (ou atuaram) nos clubes do Campeonato Brasileiro Feminino Série A1, neste primeiro semestre de 2019.

Dos 16 times que estão envolvidos na disputa do brasileirão feminino da elite, apenas 7 tem (ou tiveram) em seus elencos, jogadoras estrangeiras.

São eles, Grêmio Osasco Audax, Esporte Clube Iranduba da Amazônia, Associação Atlética Ponte Preta, Santos Futebol Clube, São José Esporte Clube, Foz Athletico Paranaense e Avaí Kindermann, lembrando que o levantamento leva em conta apenas as 9 primeiras rodadas da série A1, antes da parada para a Copa do Mundo.

PREDOMINÂNCIA SUL-AMERICANA

Das 14 estrangeiras que iremos destacar aqui, 12 são provenientes de países sulamericanos, sendo 3 venezuelanas, 3 colombianas, 2 paraguayas, 1 chilena, 1 equatoriana, 1 uruguaya e 1 argentina. Quem destoa deste grupo e pelo lado positivo, é o Japão com 2 atletas.

CONTRATAÇÃO ESTELAR, DESTAQUES DA TEMPORADA ANTERIOR E PROMESSAS EM SEUS PAÍSES

Do seleto grupo de jogadoras provenientes de outros países, temos desde de nomes conhecidos para os que acompanham a modalidade com atenção e também jogadoras que surpreendem pelo futebol apresentado até aqui, confiram:

Jogadoras estrangeiras no Campeonato Brasileiro Feminino 2019 – Série A1

YORELI RINCÓN (Hazleydi Yoreli Rincón Torres), meia colombiana do Iranduba da Amazônia, esta foi sem dúvida a “FICHAJE ESTRELLA” do futebol feminino brasileiro na temporada até aqui, pelo menos no que diz respeito a jogadoras estrangeiras. Ela já esteve no futebol brasileiro quando defendeu as cores do XV de Piracicaba de São Paulo em 2012, ao lado de sua compatriota Andrea Peralta. Além de já ter em seu curriculo duas copas do mundo, jogos olimpicos, jogos panamericanos, copa américa e mundial sub-20 pela seleção colombiana. Atleta de classe tendo também atuado em clubes da Suécia, Noruega, Estados Unidos e Itália.

Como chegou ao Brasil: Após uma campanha vitoriosa em que a camisa 10 defendeu as cores do Atlético Huila na conquista da Copa Libertadores 2018 realizada em Manaus, os dirigentes do Hulk trataram de acertar o ingresso dela ao seu elenco.

Situação atual: Depois de 9 jogos no Brasileirão, já deixou a equipe do Iranduba e ao que tudo indica, será reforço do Júnior de Barraquilla da Colômbia para a disputa da Liga Aguila (Campeonato Colombiano) 2019.

JAYLIS OLIVEROS (Jaylis Carolina Oliveros Toledo), lateral esquerda venezuelana do Iranduba da Amazônia, já atuou em clubes como Estudiantes de Guaricó, Anzoategui (ambos da Venezuela), além de defender a seleção de seu país na última Copa América disputada no Chile em 2018.

Como chegou ao Brasil: Foi ao lado de Yoreli Rincón, as duas primeiras jogadoras anunciadas pelo clube como reforços para a atual temporada. Ela também é proveniente do Atlético Huila da Colômbia, campeão da Libertadores 2018 realizada em Manaus.

Situação atual: Disputou 7 jogos no Brasileirão, deixou o Iranduba e negocia sua transferência para o futebol paraguayo para prosseguir atuando em bom nível ainda nesta temporada de 2019.

KARLA TORRES (Karla Yunesca Torres Gomez), atacante venezuelana do Iranduba da Amazônia e com passagem pela seleção de seu país.
Como chegou ao Brasil: Contratada pelo Hulk após se destacar na Libertadores de 2018, nesta competição, a pequena, rápida e habilidosa Karla defendeu as cores do Colo Colo do Chile. Começou sua carreira na Universidad Central da Venezuela (UCV), atuou ainda no Estudiantes de Guaricó e Caracas FC de seu país, passando ainda pelo Atlético Huila da Colômbia.

Situação atual: Disputou apenas 3 partidas no Brasileirão e já deixou o Iranduba. negocia seu ingresso no futebol da Colômbia, ao que tudo indica seguirá o mesmo destino de sua companheira de clube Yoreli Rincón ou seja o Júnior de Barranquilla na Liga Aguila 2019.

CLAUDIA SOTO (Claudia Paola Soto Figueroa), volante chilena do Santos Futebol Clube e da seleção de seu país na Copa da Mundo da França. Canhota de chute pontente e certeiro, tem sido aproveitada pela ténica Emily Lima muito mais no campeonato paulista do que no Brasileirão.

Como chegou ao Brasil: Em 2018 defendeu o Grêmio Osasco Audax nos campeonatos paulista, brasileiro e que ao final da temporada defendeu o 3B Sport no campeonato Amazonense.

Situação atual: Atuou apenas em 1 partida no Brasileirão e retorna da Copa do Mundo da França como reforço importante para as Sereias da Vila.

PAOLA VILLAMIZAR (Paola Del Carmen Villamizar Ochoa), atacante venezuelana do Santos Futebol Clube e da seleção de seu país, onde disputou a Copa América de 2018 no Chile. Atua com a mesma de desenvoltura como ponta de de lança mais centralizada, bem como atacante de lado de campo (a chamada segunda atacante).

Como chegou ao Brasil: Ela também seguiu os passos da colega de clube, Claudia Soto atuando pelo Grêmio Osasco Audax e 3B Sport na temporada 2018.

Situação atual: Atuou em 5 partidas no Brasileirão e marcou 1 gol, apesar da qualidade e concorrência no elenco, continua sendo uma ótima opção de ataque das Sereias da Vila.

ANDREA PERALTA (Andrea Paola Peralta Delgado), volante e lateral esquerda colombiana do Grêmio Osasco Audax.

Como chegou ao Brasil: A atleta já atuou no futebol brasileiro defendendo as cores do XV de Piracicaba de São Paulo na temporada 2012 e retorna agora após relevantes serviços prestados ao futebol de seu país onde atuou pelo Club Sarmiento Lora, Liga Tolima, Formas Íntimas e Patriotas. Jogou também no futebol argentino pelo Estudiantes de La Plata.

Situação atual: Atuou em 5 partidas no Brasileirão e das três estrangeiras do elenco do Audax, é a única que parmaneceu para a sequência da temporada.

MARIANA PION (Mariana Alejandra Pion Nuñez), volante uruguaya do Grêmio Osasco Audax, revelada pelo tradicional Nacional de Montevideo, se destacou em clubes da Colômbia e do Paraguay.

Como chegou ao Brasil: A jovem meio campista chegou ao futebol brasileiro após participar da Libertadores de 2018, onde defendeu as cores do Sportivo Limpeño do Paraguay.

Situação atual: Atuou em 6 partidas no Brasileirão, já deixou o Audax e vai defender as cores do Millionários de Bogotá da Colômbia na Liga Aguila 2019.

LUCERO ROBAYO (Delly Lucero Robayo Garcia), meia atacante colombiana do Grêmio Osasco Audax, jogadora de toques rápidos e com boa técnica para desempenhar funções tanto de criação, como de definição para o gol.

Como chegou ao Brasil: Veio como destaque no futebol colegial dos Estados Unidos, onde defendeu por duas temporadas o Young Harris College da Georgia. Foi revelada pelo Club Besser de Bogotá.

Situação atual: Atuou em 6 partidas no Brasileirão e marcou 1 gol, deixou o Audax retornando ao seu país, onde vai defender as cores do Santa Fé na disputa da Liga Aguila 2019.

NATSUMI SAITO, meia japonesa do São José Esporte Clube, atleta de destaque em seu país onde envergou inclusive a camisa da seleção nacional.

Como chegou ao Brasil: Por indicação de sua colega de clube, Fernanda Marques, meia brasileira que atuou no Okayama Yunogo Belle ao lado de Natsumi nas últimas duas temporadas e que retornou ao Brasil para defender as cores da Águia do Vale.

Situação atual: Atuou em 2 partidas no Brasileirão, ainda em processo de adaptação ao futebol brasileiro e a tudo por aqui, tem demonstrado qualidade técnica, boa leitura de jogo e poder de criação.

LIGIA MOREIRA (Ligia Elena Moreira Burgos), zagueira equatoriana do São José Esporte Clube, atleta extremamente profissional, chama a atenção pela objetividade como atua, sempre buscando simplificar a jogada e chegando na área adversária para conclusão em gol. Titular da seleção de seu país, conta no curriculo com participação na Copa do Mundo de 2015, Jogos Panamericanos de 2015, Copa América de 2014 e 2018.

Como chegou ao Brasil: Proveniente do Unión Española, equipe que reapresentou o Equador na Libertadores 2018, veio com a incumbência de manter o padrão das grandes zagueiras do São José. Gigi Moreira, como é conhecida por suas companheiras, tem passagem por equipes como Rocafuerte, Deportivo Santo Domingo, 7 de Febrero, Universidad Católica, todos do Equador.

Situação atual: Atuou apenas em 1 partida no Brasileirão, mas já está plenamente a disposição do treinador Cleber Arido do São José para a sequência da temporada.

FLORENCIA SENGER (Florencia Silvana Senger), meia atacante argentina da Ponte Preta, jovem atleta que em seu país foi destaque em competições internacionais universitárias defendendo a seleção nacional. Jogadora técnica, canhota, tem nas cobranças de falta um grande diferencial.

Como chegou ao Brasil: Após atuar na liga profissional colombiana, onde defendeu o Bogotá FC, despertou o interesse de clubes brasileiros. Revelada pela equipe amadora Las Vampirezas, depois passou a atuar pelo Union Sanata Fé, atuando também pelo Club Tatengue, Universitario de Paraná e Club Vial. Disputou a Universíade de 2017 em Taipei e Jogos Panamericanos Universitários em São Paulo 2018 pela Seleção Argentina.Esteve nas cogitações do São Francisco do Conde (BA), chegando inclusive a ser anunciada, mas a equipe pontepretana acabou contratando a atleta.

Situação atual: Em processo de adaptação ao futebol brasileiro, já atuou pelo campeonato paulista e está na expectativa da próxima rodada (jogo contra o Minas Icesp em Brasília), para por fim debutar na competição nacional.

KIRA (Kirara Fujio), meia atacante japonesa do Avaí Kindermann, polivalente jogadora com as caracterísicas próprias de uma asiática, mas com um toque de brasilidade, atua com desenvoltura em todas as posições do meio campo.

Como chegou ao Brasil: Indicada pelo técnico Toyohisa Konouchi, brasileiro que atuava no Japão, aportou em Recife e passou pelo Náutico Capibaribe (testes), Vitória de Santo Antão (testes), mas foi no Sport Recife, onde conquistou o campeonato estadual e copa cidade de Paulista (uma verdadeira Copa do Nordeste), ambos em 2018 que se consolidou. No seu país, atuou pela equipe sub-20 do Hinomoto Gakuen e conta com uma convocação para a seleção nacional sub-17.

Situação atual: Atuou em 6 partidas e marcou 1 gol no Brasileirão e tem sido boa opção do técnico Jorge Barcellos.

VERONICA RIVEROS

VERONICA RIVEROS (Hilda Veronica Riveros Izquierdo) zagueira e volante paraguaia do Foz Athletico Paranaense, é uma das mais longevas estrangeiras em ação no futebol feminino nacional.
Atuou na Universidad Autônoma do Paraguai e na Seleção de seu país, disputando a Copa América em 2014 e 2018.

Como chegou no Brasil: Após excelentes atuações na Libertadores, chamou a atenção da equipe do Foz em 2013, onde atua desde então.

Situação atual: Atuou nas 9 partidas do time no Brasileirão e é sem dúvida uma figura emblemática, além de ser a capitã do time.

ROSA MIÑOROSA MIÑO (Rosa Mística Miño Martínez), meia e ala esquerda paraguaia do Foz Athletico Paranaense.
Jovem promissora jóia da base do Cerro Porteño e das seleções paraguaias base e principal. Disputou os mundiais sub-17 e sub-20 pela albiroja.

Como chegou no Brasil: Após ter disputado a Copa América do Chile e Libertadores de Manaus, ambas em 2018, chamou a atenção da equipe paraense que a contratou.

Situação atual: Disputou apenas 2 partidas no Brasileirão e está servindo a seleção de seu país que irá disputar os Jogos Panamericanos de Lima.

 

Acesse a fanpage A Vitrine do Futebol Feminino e acompanhe as notícias e novidades sobre o Futebol Feminino.

Texto: Edson de Lima

Créditos das Fotos:

Yoreli Rincón – Crédito Marcos Dantas
Karla Torres – Crédito Gabriel Mansur
Claudia Soto – Crédito Pedro Ernesto Guerra Azevedo
Paola Villamizar – Crédito Pedro Ernesto Guerra Azevedo
Andrea Peralta – Crédito Guto Monte Ablas
Lucero Robayo – Crédito Guto Monte Ablas
Mariana Pion – Crédito Guto Monte Ablas
Natsumi Saito – Crédito Gabriel Dantas
Lígia Moreira – Crédito Edson de Lima
Florencia Senger – Crédito Edson de Lima
Kira Fujio – Crédito site oficial do Avai
Rosa Miño – Crédito site oficial do Foz Cataratas FC