Pages Menu
Categories Menu
Paysandu Esporte Clube (PI)

Paysandu Esporte Clube (PI)



*Colaborou Leandro Paulo Bernardo

O Paysandu Esporte Clube foi fundado no dia 12 de agosto de 1928, no bairro de São José, em Parnaiba (PI), pelos irmãos paraenses Cauby, Moacyr e Paracy Negreiros, que nos primeiros anos formaram literalmente a defesa do clube. Cauby era o goleiro, enquanto Moacyr e Paracy eram os zagueiros.

Por quase 60 anos o clube jogou apenas os bons campeonatos da cidade que eram disputados no saudoso Estádio Petrônio Portela, originalmente batizado de Estádio Internacional por possuir arquitetura semelhante aos estádios ingleses. O campo de treinamento do Paysandu era na Rua Coelho Rodrigues. Ficou conhecido também pelo apelido carinhoso dado pelos torcedores do bairro: Brasinha.

O Paysandu conquistou apenas um campeonato da Liga Sportiva Parnahybana, em 1936. Era um campeonato muito acirrado, já que tinha grandes concorrentes como Flamengo, Internacional, Artístico, Belga, Ferroviário e especialmente o Parnahyba Sport Club, que fazia com o Paysandu o maior clássico da cidade, o famoso PAPAY.

20814279_1518851944801506_2139344073_n

Time campeão em 1936

O alvirrubro do São José estreou no Campeonato Piauiense da primeira divisão em 1988. Passou a mandar seus jogos no estádio Verdinho, de propriedade da FIEPI, a Federação das Indústrias do estado do Piauí. O confronto com o Parnahyba chegaria finalmente ao período de futebol profissional no estado.

Os duelos entre Tubarão e Brasinha mobilizavam a cidade, mas o clima de paz sempre marcava os jogos, inclusive não havia divisão de torcida nas arquibancadas. No Campeonato Piauiense de 1988, as duas equipes fizeram o confronto mais decisivo da história. Na última rodada do terceiro turno ambos tinham chance de ir para o quadrangular final. O Parnahyba acabou vencendo por 1 a 0 e se classificou.

Para o campeonato de 1989, a equipe contratou o jogador Carlão, que era zagueiro, capitão e ídolo do rival Parnahyba. No final da competição, ele acabou recebendo a maior premiação para os jogadores do estado: o Troféu Rui Lima, que desde 1986 é ofertado ao craque do Campeonato Piauiense.

No início dos anos 1990, enquanto os clubes de Teresina passavam por dificuldades financeiras, o futebol do interior crescia bastante. Tanto que nesse período houve conquistas do SEP, 4 de Julho e Cori-Sabbá, respectivamente das cidades de Picos, Piripiri e Floriano.

A melhor classificação do Brasinha foi no estadual de 1992, quando ficou com o vice-campeonato. Naquele ano houve as ausências de River, Flamengo e Piauí (Tiradentes e Auto Esporte foram os representantes de Teresina). O Paysandu conquistou o segundo turno, após a disputa por pênaltis contra o 4 de Julho.

A decisão foi contra o mesmo 4 de Julho, que havia conquistado o primeiro turno. Onze ônibus saíram de Parnaíba até Piripiri para acompanhar o Brasinha, sendo que muitos torcedores do Parnahyba também foram prestigiar o clube alvirrubro. O 4 de Julho venceu por um a zero.

Em 1994, o Paysandu adquiriu, por empréstimo ao Ferroviário do Ceará, o jovem atacante Iarley para a disputa da fase final do Campeonato Piauiense. Iarley havia sido o principal destaque do Ferrão na conquista do Campeonato Cearense Sub-20.

O Campeonato Piauiense de 1994 foi muito longo. O Brasinha chegou ao quadrangular final pela pontuação geral, já que não havia conquistado nenhum dos três turnos. A foto abaixo, retirada da edição número 1099 de dezembro de 1994 da Revista Placar, confirma a participação de Iarley no jogo decisivo contra o Picos, que garantiu mais uma conquista estadual para o Zangão.

 


20840456_1518849768135057_1958872804_n

 

Após a sua passagem pelo Brasinha, Iarley jogou o Campeonato Cearense de 1995 pelo Quixadá e foi para a Europa. Em 2003, jogou no Paysandu “mais famoso” e ficou conhecido internacionalmente ao marcar o gol da vitória do Papão contra o Boca Juniors em plena La Bombonera.

20707780_1513428608677173_140761739_n

Jogaria ainda pelo Boca Juniors e Internacional (RS), em ambos foi ídolo e campeão mundial. Contudo, bem antes da fama, já havia jogado no Internacional, antigo nome do estádio Petrônio Portela, pelo Paysandu.

A última participação do Paysandu foi no Campeonato Piauiense de 2000, ficando em 9º lugar, a frente apenas do Piauí na classificação geral. O último PAPAY ocorreu no dia 22 de junho de 2000, quando o Parnahyba venceu o Paysandu por 5 a 3. A maior vitória do Brasinha no clássico foi 4 a 1 no dia 12 de Junho de 1999 pelo campeonato estadual.

O Paysandu afastou-se do profissionalismo em 2001 e, desde então, mantém-se inativo. Atualmente, a cidade conta apenas com o Parnahyba na primeira divisão e com o Ferroviário na segunda divisão.

Carlão já foi treinador do Ferroviário e tem uma escolinha na cidade, à qual ele batizou de Rui Lima (informação obtida com o amigo Severino Filho em seu maravilhoso site http://sitedobuim.blogspot.com.br ).

Apesar da ausência do Brasinha, o bairro de São José não perdeu o brilho ou as cores gloriosas nas competições citadinas, pois o também alvirrubro Ajax (fundado em Janeiro de 2002) já conquistou três vezes o campeonato da cidade e segue representando o bairro nas competições de Parnaíba.

* Leandro Paulo Bernardo – Cirurgião-Dentista, apaixonado por futebol, literatura e música desde os quatro anos, e com o coração dividido entre o Santa Cruz e a Portuguesa

Imagem: Pedro Guimarães