Pages Menu
Categories Menu
O futebol reúne novamente duas belas cidades pernambucanas: Pesqueira e Bonito

O futebol reúne novamente duas belas cidades pernambucanas: Pesqueira e Bonito



*Colaborou Leandro Paulo Bernardo

Em 2017, exatos 40 anos depois da realização do primeiro Campeonato Pernambucano da Segunda Divisão, duas belíssimas cidades do interior são envolvidas novamente na disputa: Bonito e Pesqueira.

Embora essa disputa atual seja com clubes diferentes, vai além do aspecto futebolístico entre a Águia e o Falcão, porque envolve belezas naturais e muita história com o apogeu e a decadência de duas grandes fábricas.

A cidade de Bonito está no ecótono entre agreste e mata sul do estado. A Terra das Águas é considerada uma das sete maravilhas naturais de Pernambuco, sendo conhecida como destino turístico por apresentar grandes e lindas cachoeiras. Tem uma famosa festa de São Sebastião em janeiro, foi pioneira no Nordeste do movimento do Sebastianismo e recebeu no final da década de cinquenta uma grande colônia de japoneses que cultivam flores para exportação.

 

c49c75b3-7ce4-4164-80a6-433762360617

Cidade de Bonito / Crédito: arquivo pessoal

 

Entre 1870 e 1890, era uma rica região produtora de café, recebendo inclusive uma premiação na Espanha como um dos melhores do mundo. A cafeicultura foi substituída pela produção de açúcar e posteriormente com chegada da fábrica de sucos concentrados Maguary. No auge, a fábrica contou com mais de 1.500 funcionários. Em 1971, foi criada a Associação Atlética Maguary para representar a empresa em competições desportivas regionais.

Pesqueira está localizada no agreste, já próxima do sertão, tem o maior reduto indígena do nordeste – os índios da tribo Xukuru que vivem em 24 aldeias – um grande turismo religioso para a vila de Cimbres e um dos melhores carnavais do interior do nordeste.

 

ef776611-c071-47ec-9c51-96c1eff1e2ac

Cidade de Pesqueira / Crédito: arquivo pessoal

 

Alguns anos depois da emancipação da cidade do doce e da renda, foi criada a fabrica de doces Peixe que representou desenvolvimento para a cidade. No auge da fábrica, a cidade tinha um aeroporto, jóquei clube, revendedora de automóveis e cinco jornais semanais. A goiabada e os produtos derivados do tomate foram premiados na Bélgica em 1910 numa exposição internacional como um dos melhores do mundo, consagrando-a como uma das maiores indústrias do Brasil.

Em outubro de 1944, os funcionários da oficina mecânica da Fábrica Peixe criaram um time de futebol, que em 1954 foi oficializado com o nome de União Peixe Esporte Clube. Era bastante conhecida e temida na região, na década de 1960 revelou o meia Luciano Veloso, grande ídolo do Santa Cruz e Corinthians.

 

03928506-0f60-44ca-af23-60dcd2c6697a

União Peixe EC / Crédito: arquivo pessoal

 

Antigamente, o Campeonato Pernambucano era disputado apenas por equipes que se inscreviam e se comprometiam a arcar com as despesas, ficando assim restrito aos times da capital – América, Náutico, Santa Cruz e Sport – e duas agremiações de Caruaru – Central e Esporte Clube Caruaru.

Em 1977, foi elaborado o Torneio Governador Moura Cavalcanti, uma espécie de seletiva que a Federação Pernambucana de Futebol organizou para a interiorização ou extensão do campeonato, servindo como teste para avaliar os clubes em condições de participar da elite do futebol pernambucano na temporada seguinte.

A competição foi disputada em turno único, em um total de nove rodadas, e teve início no dia 28 de agosto. Terminou em 16 de outubro de 1977 e as equipes participantes foram:

1. Associação Atlética Maguary, de Bonito
2. AGA – Associação Garanhuense de Atletismo, de Garanhuns
3. Associação Esportiva Central Barreiros, de Barreiros
4. DR-5, de Goiana
5. Flamengo Sport Club, de Arcoverde
6. Independente Atlético Clube, de Garanhuns
7. União Peixe Esporte Clube, de Pesqueira
8. Associação Atlética Santo Amaro, do Recife
9. Clube Ferroviário, do Recife
10. Íbis Sport Club, do Recife

 

4f270aee-3964-4325-8ac1-7af8b4bdba5b

União Peixe EC / Crédito: arquivo pessoal

 

O Maguary já vinha se organizando desde 1975, quando o presidente do clube e gerente industrial da fábrica, Antônio Mauri Figueiredo, resolveu formar um time de futebol. Trouxe o treinador Leonildo Vila Nova, com passagens pelo Santa Cruz, Sport e futebol português, além de jogadores profissionais sem chance nos times da capital. Porém, pouco antes de iniciar a competição Leonildo recebeu uma proposta irrecusável do Louretano, de Portugal, e deixou o comando do Alvi-Anil para o treinador Cidinho.

 

73796d8c-85e0-4f69-b23c-f4181432e8e1

Maguary / Crédito: arquivo pessoal

 

Os jogos em Bonito foram a grande atração daquela Primavera, o estádio Artur Tavares de Melo (fundador da Maguary) obteve a melhor média de público do campeonato. O time recebia uma ajuda da prefeitura de 10 mil cruzeiros, casa e alimentação. Os operários contribuíam com dois cruzeiros por semana e os gerentes da fábrica com 200 a 500 cruzeiros por mês. Cada um dos 15 jogadores do elenco recebia mil cruzeiros. Cidinho recebia quatro mil cruzeiros.

Na última rodada haveria o confronto em Pesqueira entre União Peixe e Ferroviário, que estavam empatados na segunda colocação com 13 pontos. O Maguary era o líder com 14 pontos e bastava vencer o Independente de Garanhuns em Bonito. Houve um empate em Pesqueira por 1 a 1, enquanto o Maguary, com três gols do centroavante Sávio, venceu por 3 a 1 e sagrou-se campeão.

 

cff028c4-a6ec-4a19-b3d5-681125d7a1a3

Recorte de jornal / Crédito: arquivo pessoal

 

Infelizmente, para o campeonato estadual da primeira divisão de 1978 apenas os times da capital – Santo Amaro, Ferroviário e Íbis – se inscreveram. O Sport divergiu da federação e se ausentou daquele estadual. A Federação Pernambucana de Futebol só voltou a organizar uma segunda divisão em 1995, porém, a partir dessa edição houve a possibilidade do acesso à primeira divisão.

Apesar de ter um clube de festas e uma sede social, o projeto futebolístico do Maguary não teve continuidade a longo prazo. A fábrica foi transferida para a cidade cearense de Aracati em 1990 e ao longo dos anos sofreu várias alterações administrativas, sendo vendida integralmente para um grupo britânico em 2015. No início de 2017, a prefeitura de Bonito fez uma parceria com a equipe recifense do Decisão, que representará a cidade na final do estadual.

O União Peixe ainda joga esporadicamente amistosos na cidade, tem uma sede que resiste ao tempo e fica ao lado do Estádio Municipal Joaquim de Brito. Abreviou o nome para União Esporte Clube em 1986.

Em 1998, a centenária empresa Peixe foi adquirida por um grupo italiano. Todavia, alguns meses depois esse grupo, que também comandava o time da Lazio, transferiu toda a estrutura da fábrica para Taquaritinga, em São Paulo, e Nova Glória, em Goiás, alegando carência hídrica e de matéria prima na região.

Em outubro de 2017, o prédio da fábrica foi desapropriado da antiga empresa pelo governo estadual e repassado ao patrimônio público municipal, por lá se concentra uma feira livre. Em 2006, foi criado o Pesqueira Futebol Clube, que disputou a primeira divisão entre 2013 e 2016 quando foi rebaixado. Jamais enfrentou os “três grandes”, já que nunca passou da primeira fase – que qualificava duas equipes para o hexagonal com Náutico, Santa Cruz, Sport e Salgueiro.

Para essa final “Goiabada com Suco” de 2017 existem algumas coincidências com aquele campeonato de 1977, o time de Pesqueira eliminou a Cabense – time da região metropolitana do Recife – enquanto a equipe de Bonito superou o Sete de Setembro de Garanhuns.

* Leandro Paulo Bernardo – Cirurgião-Dentista, apaixonado por futebol, literatura e música desde os quatro anos, e com o coração dividido entre o Santa Cruz e a Portuguesa