Newsletter subscribe


Corinthians, Cruzeiro, Palmeiras, Posts, Santa Cruz, São Paulo

Rivaldo Vitor Borba Ferreira – Rivaldo

Rivaldo
Posted: 19/04/2016 at 05:00   /   by   /   comments (0)

No dia 19 de abril de 1972, nascia na cidade de Paulista, no litoral norte de Pernambuco, um dos brasileiros já eleitos como o melhor jogador de futebol do mundo: o meia Rivaldo.

Iniciou a carreira profissional no Santa Cruz, onde foi destaque entre os juvenis, e disputou algumas partidas entre o time principal. Porém, brilhou mesmo no ano seguinte.

Em 1992, viajou com a delegação coral para disputar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Foi e não voltou. Trocado por cinco jogadores, passou a defender o time do Mogi Mirim.

O Sapão foi a grande atração da segunda divisão paulista com o chamado “Carrossel Capiria”. Rivaldo, porém, era deixado de lado pela crítica, que exaltava as atuações de Válber e Leto.

Em 1993, o Corinthians conseguiu o empréstimo dos três e do ala Admílson. No Timão, o meia foi jogado para escanteio pelo técnico Mário Sérgio e criticado de lentidão pela torcida.

Não foi bem no Campeonato Paulista daquele ano, mas se recuperou no Campeonato Brasileiro. Na competição, marcou 11 gols e venceu o prêmio Bola de Prata da ‘Revista Placar’.

Rivaldo ainda não havia convencido a torcida e a imprensa. Em 1994, foi contratado pelo Palmeiras por mais de R$ 2 milhões com o Mogi Mirim. E ali o meia pode, enfim, despontar.

Impecável no controle de bola, não deixava que nenhum zagueiro o parasse quando ia em direção ao gol. Muito bem posicionado e de passes precisos, driblava em velocidade como poucos.

Foi o vice-artilheiro do Brasileirão daquele ano com 14 gols e ajudou o alviverde a conquistar o título. No Parque Antarctica, ainda foi campeão paulista em 1994 e 1996.

Neste ano, aliás, sofreu na seleção brasileira. Nos Jogos Olímpicos, foi perseguido por ter errado um passe que resultou na derrota para a Nigéria nas semifinais. Mais críticas.

Porém, depois de um ano de geladeira, deu a volta por cima. Foi preciso se tornar ídolo na Espanha para retomar a confiança. No Deportivo La Coruña, substituiu Bebeto e foi grande destaque.

Tanto que, em 1997, foi contratado pelo Barcelona. Na Catalunha, substituiu Ronaldo à altura e conquistou títulos importantes: o Campeonato Espanhol (1997/98 e 1998/99), a Copa do Rei (1998) e a Supercopa da Europa (1997).

Retornou à seleção brasileira e foi considerado o melhor jogador da Copa do Mundo de 1998. No ano seguinte, ainda no Barça, foi eleito o melhor jogador do mundo pela FIFA na temporada.

Ainda em 1999, Rivaldo foi campeão da Copa América com a camisa canarinho e se tornou ídolo nacional. Ficou no time catalão até 2002, quando chegou ao auge na carreira.

Rivaldo foi um dos jogadores mais importantes na conquista da Copa do Mundo, disputada na Alemanha. No penta, foi eleito o segundo melhor atleta da competição atrás de Ronaldo.

Ainda naquele ano, o meia foi contratado pelo Milan e passou a atuar na reserva. Ficou descontente, mesmo participando dos elencos que venceram a Liga dos Campeões e a Copa da Itália.

O craque então decidiu tentar a sorte no futebol da Grécia e assinou contrato com o Olympiakos. Mal sabia ele que se tornaria uma estrela e um verdadeiro maestro daquele time.

Tricampeão grego (2005, 2006 e 2007) e bicampeão da Copa da Grécia (2005 e 2006), ficou marcado como um dos maiores e melhores jogadores que passaram pelo futebol do país.

Rivaldo ainda defendeu o Bunyodkor, do Uzbequistão, o Cruzeiro, o São Paulo, o Kabuscorp, de Angola, o São Caetano e o Mogi Mirim. Chegou a ser presidente do clube que o revelou.